ÍNDICE


Inscrições Encerradas

As inscrições para a Meteorik CONFERENCE 2019 estão agora encerradas.
Por favor mantenha-se atento aos próximos eventos.


Comece o Ano a Vencer

Este ano a MeteorikArgumento decidiu dar o seu contributo aos empresários portugueses, 
criando este evento a que chamamos:
Meteorik CONFERENCE 2019

No video seguinte, Ana Batista, fundadora da empresa Meteorik Argumento, apresenta a Meteorik CONFERENCE 2019.


Este é um evento organizado em parceria com a 
Federação X, e
 tem como principal objectivo,
ajudar as empresas a aumentar a sua facturação 
de forma planeada, estratégica e previsível.

Acreditamos que a união faz a força. 

E é por isso que queremos unir-nos aos empresários, levando até eles conhecimento e estratégias,
para que possam crescer e fortalecer a sua posição no mercado em que operam.

Clique na imagem para ampliar
   

São as boas decisões, e a disciplina necessária para nos mantermos no caminho certo, 
que determinam se vamos alcançar os resultados desejados, ou não.

Não perca tempo!


Está a chegar o Meteorik CONFERENCE 2019.
                                      Inscreva-se Já!


Comece o Ano a Vencer

Precisa de mais clientes?
Está farto de trabalhar sem ver o retorno do seu esforço?
Quer crescer e liderar o seu mercado?
Vem aí a METEORIK Conference 2019, 
o evento dedicado ao crescimento das empresas, dos gestores e dos líderes.
Inscreva-se já !!
...e comece o ano a vencer.


Os 6 Princípios Da Influência De Robert Cialdini

Robert Cialdini escreveu um livro chamado “Influência” no qual descreveu os princípios encontrados nos programas de treino das profissões que têm como objectivo influenciar as pessoas, ou seja, a levá-las a dizer “Sim” a uma determinada proposta.

Nessa pesquisa de 2 anos e meio descobriu que esses princípios podem ser resumidos a apenas 6 que são universais, embora possam existir centenas ou milhares de tácticas que levam as pessoas a agir de uma determinada maneira. E são aplicáveis em todas as áreas da nossa vida social ou profissional.
São eles os seguintes:

• 1 - RECIPROCIDADE
• 2 – ESCASSEZ (RARIDADE)
• 3 - AUTORIDADE
• 4 - CONSISTÊNCIA
• 5 - GOSTAR
• 6 - CONSENSO



RECIPROCIDADE - É o desejo de dar algo de volta, após ter recebido alguma coisa.
Ex: Quando nos dão algo como um rebuçado ou uma pequena amostra de um produto, sentimo-nos obrigados a comprar algo ou pelo menos a ouvir aquilo que a outra pessoa tem a dizer.
Ou quando nos ajudam a resolver um determinado problema, sentimo-nos gratos e na obrigação de ajudar a outra pessoa em algo que ela precise.
Este é no fundo o princípio da amizade. Reciprocidade é a “cola” social. Quando alguém não retribui chamamos-lhe egoísta, “mal-agradecida”, anti-social, etc…

ESCASSEZ (RARIDADE) - É o desejo que possuir aquelas coisas que existem em menor quantidade ou, ainda que existam em quantidade suficiente, nos é dada a percepção de serem raras ou acessíveis a poucos.
Ex: Carros luxuosos ou de alta cilindrada, barcos de luxo, jóias.
Mais em concreto; não existem poucos diamantes no mundo, mas a sua presença no mercado é controlada de modo a manter o estatuto de artigo altamente desejado e como tal, valioso.

AUTORIDADE - As pessoas têm a tendência de seguir as ordens ou conselhos daqueles a quem reconhecem autoridade na matéria em questão.
Ex: Coisas como fardas, diplomas e demonstração de conhecimento, fazem com que todos nós lhes reconheçamos autoridade numa ou noutra matéria.
Mais em concreto; polícias, médicos, mecânicos, escultores, pedreiros. etc… a todos estes reconhecemos autoridade na sua área de actuação, e como tal seguimos as suas recomendações.

CONSISTÊNCIA (COMPROMETIMENTO) – É o desejo de ser consistente com as coisas que dissemos ou fizemos anteriormente.
Ex: Se nos convidarem para uma festa e nós dissermos que vamos lá estar à hora combinada, a probabilidade de cumprirmos com essa pequena “promessa” é muito maior do que se nos enviassem um convite pelo correio e não confirmassem a nossa resposta.
E se fôr hábito nosso chegar sempre à hora combinada, vamos desejar ser consistentes com esse nosso hábito da mesma forma que os outros esperam que nós sejamos “fiéis” a esse nosso princípio.

GOSTAR - As pessoas preferem dizer “Sim” àquelas que conhecem e de quem gostam. E temos tendência a gostar de pessoas que são semelhantes a nós, têm interesses comuns, nos elogiam ou que colaboram connosco para atingir objectivos comuns.
Ex: Os teus amigos e familiares gostam de ti, e se lhes pedires para te emprestarem o seu automóvel, é muito mais provável que o façam do que se não te conhecessem ou não gostassem de ti por lhes teres roubado a carteira.

CONSENSO - É a tendência de querermos fazer aquilo que as outras pessoas fazem, desde que as consideremos semelhantes a nós. Ou seja, que pertençam ao mesmo estatuto social, que tenham a mesma nacionalidade, clube desportivo, profissão, idade, sexo, família, “tribo”,etc…
Ex: Se nos dissessem:
“ 80% dos portugueses planta pelo menos 100 árvores por ano.”

A probabilidade de cada um de nós plantar 100 árvores por ano seria muito maior do que se dissessem:
“Salve o planeta. Plante 100 árvores por ano.”

Outra situação seria algo do tipo:
“- A maioria dos nossos clientes prefere este produto. Compre você também.”

INFLUÊNCIA VS MANIPULAÇÃO

Desde que há gente no mundo que existe quem tente influenciar ou manipular os outros.
Da mesma forma que uma faca pode descascar uma maçã ou atacar uma pessoa, também a utilização da nossa capacidade de influência pode ser usada para o bem ou para o mal.
Fica ao critério de cada um o modo como utilizar esta “ferramenta”.

Dito isto...
Quem é que tu conheces que possa estar interessado(a) neste artigo e infográfico?
Partilha-o!

ATENÇÃO! Este É Provavelmente o Post Mais Importante Que Já Viste Num Blog


Todos nós queremos coisas na nossa vida.
Queremos ser felizes, ter companhia, ter público a quem mostrar a nossa “arte”, ajudar a família e os amigos, apoiar causas (sociais, ambientais, animais…), etc…
Para podermos fazê-lo precisamos de recursos que muitas vezes não temos nem sabemos como obter. Deixa-me dizer-te como fazê-lo.

Quando temos uma ideia, um projecto ou um plano de vida, que requer o envolvimento de outras pessoas, o primeiro problema que temos é a falta de ATENÇÃO.
Porquê?
Porque o anonimato mata as ideias, os projectos e os planos de vida. Se ninguém souber que tu existes é impossível conhecer a tua ideia, ouvir a tua proposta e aceitá-la. Concordas?

Exemplos:
1- Se um músico quer dar um concerto precisa de audiência
2- Se uma associação ambiental quiser reflorestar uma montanha, precisa de voluntários
3- E se tu quiseres casar, precisas de atrair a atenção de alguém de quem gostes, e que goste de ti.

Todas estas e muitas outras coisas requerem ATENÇÃO. E quando conseguimos tê-la torna-se possível realizar quase todos os sonhos.
Só com a atenção de outras pessoas é possível transferir-lhes o nosso entusiasmo e, com elas fazer algo acontecer, seja a venda de um produto, um casamento ou a concretização de qualquer projecto que necessite da participação de outras pessoas. E sejamos francos, nada de realmente emocionante acontece sem a participação de outras pessoas.

Como obter ATENÇÃO? <-- Viste que Link tão bonito

A maneira mais simples é fazer algo que se destaque da “paisagem”. Foi por esse motivo que neste texto decidi escrever a palavra ATENÇÃO de forma ligeiramente diferente.

Imagina uma folha em branco. Se eu te dissesse para olhares para essa folha, o teu cérebro não saberia ao certo para onde olhar e facilmente perderias o interesse, porque o papel é homogéneo e não tem nada que se destaque.
Mas se eu deixasse cair uma gota de tinta no meio da folha, os teus olhos seriam imediatamente atraídos pela mancha formada pela tinta. Algo semelhante acontece com as pessoas à tua volta, na chamada “sociedade”.

A grande maioria das pessoas cresce a querer integrar-se na sociedade em que vive. Aqueles que não o fazem são considerados “estranhos”, “esquisitos” e algumas vezes são alvo do ridículo social. Porquê?
Porque segundo a maioria, fogem à “norma” e atraem “DEMASIADA ATENÇÃO”.
No entanto, o verdadeiro problema não é atraírem demasiada atenção, mas sim que atraiam um tipo de atenção que não é valorizado pela maioria.

Portanto antes de chamares a atenção de alguém, tens de perceber o que é que essas pessoas valorizam naquilo que tens para apresentar.

Exemplo:
Se eu fôr músico e tiver um projecto novo para apresentar. O que é que as pessoas valorizam na minha música? 

Problemas:
 - Não a conhecem e nunca a ouviram.
- Também ninguém me conhece, porque é a primeira vez que apresento um projecto musical.
- E existem demasiados músicos no mundo com quem competir.

O que fazer?

 Tenho que me diferenciar.
Isto significa que tenho me apresentar de maneira diferente da maioria, seja pela imagem, pela qualidade de toda a apresentação, pela mensagem transmitida ou pelos valores ou causas que defendo.

 Tenho que me posicionar perante o público que quero ter, porque é impossível agradar a toda a gente.
Qual é a minha identidade?
Que pessoas partilham da minha visão?
Onde é que estão essas pessoas com valores semelhantes?

 Tenho que me colocar na posição do meu ouvinte
Se eu fosse o meu público; 
O que é que seria fascinante ver e ouvir?
De quem é que é que eu gostaria de ser fã?
O que é que teria de acontecer para eu querer ir ver um espectáculo de alguém?
Por que motivo é importante eu ouvir um determinado músico em vez de qualquer outro?

Quando eu tiver definido a resposta para todas estas questões, posso então chamar a atenção das pessoas cuja atenção quero obter.

5 Formas dObTer Atenção

 – INTRODUÇÃO
Dê por onde der tens que ter a iniciativa de começar uma conversa ou fazer alguma coisa que capte a atenção da tua audiência. E isso pode ser por meio de qualquer um dos 5 sentidos.
- Podes tocar nas pessoas, apesar de ser arriscado se não te conhecerem
- Podes fazer algo que elas vejam
- Podes usar cheiros e aromas para atrair atenções
- Podes falar ou fazer barulho
- Podes atrair a atenção através de algo que as pessoas provem, se bem que para conseguires que alguém prove alguma coisa vais ter que lhe chamar a atenção previamente.

 – HEY, HEY, HEY!!!     ATENÇÃO!     ALTO!     PARE! 

Fazer barulho é talvez a forma mais rápida de conseguir chamar a atenção de alguém, porque a audição é aquele sentido que está ALERTA 24 horas por dia. Saltar para a frente de alguém, seja onde fôr, e dizer:
“Hey! Estou aqui para lhe dizer algo importantíssimo.”

É garantidamente uma forma eficaz de chamar a atenção. Talvez até com direito a uns dentes partidos. Mas se isso acontecer PARABÉNS!, conseguiste TODA A ATENÇÃO dessa pessoa.

– 20 SEGUNDOS

A atenção das pessoas é algo precioso. Hoje em dia o tempo é escasso e existem demasiadas distracções. Portanto se quero ser eficaz a atrair a atenção de alguém, devo tentar fazê-lo em 20 segundos ou menos.

– INTERESSE

A minha mensagem deve ser relevante e provocar entusiasmo. E se só tenho 20 segundos para cativar alguém, tenho que resumir a minha mensagem àquilo que eu quero que as pessoas se lembrem da minha mensagem.
Claro que a mensagem pode demorar 20 segundos ou 20 minutos, mas é fundamental cativar a atenção das pessoas logo nos segundos iniciais.

– DAR E RECEBER

Se “ninguém” me conhece e eu preciso que me dêem ATENÇÃO, tenho que estar disposto a DAR a minha atenção em troca da atenção da outra pessoa. Isto significa que na ausência de recursos para chegar a todo o público que desejo ter, poderei ter que falar com poucas pessoas, ou mesmo uma só pessoa de cada vez. Isto dá muito trabalho, mas a qualidade da atenção recebida é muito maior do que se eu colocar um anúncio em qualquer plataforma (jornais, revistas, etc). 

Porquê?
Porque é personalizado. As pessoas podem pedir-nos mais informações, e sentem que lhes damos mais valor porque estamos dispostos a dar-lhes a nossa atenção em troca da atenção delas.

E estas 5 Formas dObTer Atenção são válidas para o exemplo de um músico ou para qualquer outro projecto que queiramos levar avante.

As 2 questões que se colocam de seguida são:
Quanta atenção queres obter?
Quanto tempo, trabalho ou dinheiro estás disposto(a) a investir?

Só tu é que podes saber quanta atenção estás disposto(a) a ter, mas é fundamental perceber que os resultados obtidos estão sempre directamente ligados à ATENÇÃO que nos dão.

Dito isto...
Quem é que tu conheces que possa estar interessado(a) neste artigo?
PARTILHA-O!

Este e outros artigos em:

BLOG
https://imperiodevendas.blogspot.pt/

GOOGLE+:
https://plus.google.com/101328749078226473220

Ajuda Os Teus Clientes A Resolver Os Seus Problemas

O único motivo pelo qual alguém compra um produto ou paga por um serviço é, para resolver um problema.
E quando um problema encontra uma solução estamos perante uma oportunidade de negócio. 
Mas se tu tens a solução para um determinado problema, é no mínimo egoísta que não partilhes essa informação com aqueles que dela precisam. Claro que da mesma maneira que tu não sabes quem é que tem esse problema, aqueles que precisam da solução também não sabem que tu a tens. 
E é por isso que tens a obrigação ética e moral de procurar activamente aquelas pessoas que precisam da tua ajuda.

Imagina que tens a cura para uma determinada doença. Ou talvez uma forma de manter pessoas e bens mais seguros. Ou ainda um produto que ajuda as pessoas a ganhar ou poupar dinheiro para um “dia de chuva”…
Será que não acreditas no teu produto?
Será que que não acreditas que tens a solução para estes ou outros problemas?
Se assim fôr talvez tenhas que procurar outra coisa para vender.
Mas se por outro lado, confias plenamente na capacidade do produto ou serviço que ofereces, resolver o problema para o qual foi concebido, então tens todo o direito, e até o dever, de o apresentar e falar dele a todos aqueles que dele possam necessitar.

Claro que vais encontrar dificuldades. Claro que vais ouvir comentários pouco simpáticos. 
Mas quando encontrares aquelas pessoas que efectivamente precisam da tua ajuda, e vires o impacto que os resultados obtidos com o teu produto/serviço vão ter na vida do teu cliente, vais sentir que todos os obstáculos e dificuldades encontrados valeram a pena.
Não só pelo dinheiro que vais receber, pelo facto de fechares um negócio mas, principalmente por saber que ajudaste alguém que precisava de ti.
E isso não tem preço.
Mas deves cobrar mesmo assim.

Dito isto...
Quem é que tu conheces que possa estar interessado(a) neste artigo?
Partilha-o!